Autor JOHANNES VON SAAZ
Tradução ISABEL LOPES a partir da versão cénica francesa de Dieter Welke
Imagem Pintor JOÃO VIEIRA

O texto é um libelo contra a morte injusta da jovem esposa, morta jovem, de parto. E se a pulsão amorosa o leva à poesia, como forma de expressão única para traduzir o sucedido, ele fá-lo, homem de leis que é, de forma criteriosa, segundo regras estilística e ideais que as leis formalizam. É dessa tenção entre a desrazão amorosa e a razão jurídica que nasce este texto único na tradição europeia pela sua singularidade limite em termos emocionais individuais — não é Saaz mais um do rebanho que fala, é ele, Saaz, viúvo inconsolável de Margaretha, sujeito que experimentou algo absolutamente único. Escrito em alto alemão médio na Boémia, zona que corresponde à República Checa, é um clássico da língua alemã.
fmr