Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image

Ficha Artística

Tradução | José Carlos Faria
Direcção
 | Fernando Mora Ramos

Interpretação
Mari Crespa
 | Isabel Lopes
Teresa e Marica
 | Isabel Carvalho
Pero Tanto
 | Victor Santos
Perico
 | Paulo Calatré
Bártolo
 | António Parra
Bandúrrio
 | José Carlos Faria
Dorotea
 | Catarina Vargas
Simocho
 | Carlos Borges
Antón
 | Fernando Mora Ramos
Músico
 | Carlos Alberto Augusto

Ver Programa
Ficheiro em PDF

À força de ler romances Bártolo quer ir-se para a guerra combater o corsário Draque e os ingleses. Depois de uma despedida dramática e com Teresa, a esposa de um casamento de quatro dias, chorando perdidamente, parte com Bandúrrio à aventura montado num cavalo de cana. Ao ver um par de pastores desavindos de amor, de tanta novela na cabeça, logo vê um mouro raptando uma donzela, investindo com a sua lança de pau contra Simocho, o namorado de Marica. Resultado: Bártolo, em fanicos, nem se consegue mexer. Descoberto pela comitiva familiar, Mari Crespa, Teresa, Pero Tanto e Antón, pai de Bártolo, regressará a casa imaginando-se Valdovinos, herói amoroso do romance antigo do Marquês de Mântua. Chegados a casa com o louco às costas, os aldeãos, dão com Perico, irmão de Teresa, às voltas com Dorotea, irmã de Bártolo, os dois em trajes menores. A gravidade do caso obriga a casamento na hora. Mas eis que logo de seguida Bártolo, fugido do leito, se declara Páris e anuncia que Tróia pegou fogo sob os seus pés. Todos fogem. Bártolo diz então ao mundo que quer que o fogo incendeie Helena de amor eterno. E assim fenece o entremez.