Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image

Ficha Artística

Tradução | Idalina Aguiar de Melo
Encenação | Fernando Mora Ramos
Dramaturgia e direcção de ensaios | Isabel Lopes
Cenografia | José Carlos Faria
Desenho de luz | Fernando Mora Ramos e António Plácido
Interpretação | Clara Joana e Fernando Mora Ramos

Co-produção | Teatro da Rainha e Teatro Nacional de São João

Ver Programa
Ficheiro em PDF

Em Ella a velha mulher que dá o seu nome à peça “vive” com Joseph num galinheiro. Está totalmente absorvida pela programação de televisão e não pronuncia uma palavra. Joseph prepara em silêncio o café que apenas beberá no fim da peça. Mistura nesse café um veneno mortal, depois coloca uma peruca de penas de galinha e, vestido com o avental da mãe, começa de repente a debitar sem nunca mais parar para recuperar o fôlego, a regurgitar o solilóquio que Ella, a sua mãe, calou durante toda a sua vida, dos anos do nazismo aos do boom económico, de decepção em decepção. Joseph engole finalmente o café e cai enquanto a mãe se levanta e anda às voltas no galinheiro dando gritos de galinha assustada.