Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image
Slider Image

Ficha Artística

Tradução | Constança Carvalho Homem
Encenação e Interpretação | Fernando Mora Ramos e João Cardoso
Cenografia | Sissa Afonso
Figurinos | Bernardo Monteiro
Desenho de Luz | Nuno Meira
Sonoplastia | Francisco Leal
Assistência de Encenação | Rosa Quiroga

Co-produção | ASSÉDIO,Teatro da Rainha

Ver Programa
Ficheiro em PDF

Inspirando-se no relato de Tucídides da destruição de uma expedição à Sicília em 413 a.C., quando o exército e a marinha atenienses sofreram uma derrota avassaladora, Howard Barker constrói uma ficção “catastrófica” em torno do momento em que as notícias de tal acontecimento são divulgadas: um Visitante (um sobrevivente?) faz o relato das “más notícias” ao seu Barbeiro, ansioso por saber do destino do seu próprio filho envolvido naquele episódio militar. A Morte do Dia de Hoje apresenta-se como uma poderosa reflexão dramática sobre a estranha sedução exercida pela catástrofe e a glória envolvida no seu relato: a inevitabilidade da destruição é reavaliada em termos do modo como é vista e do seu significado, subtilmente questionando o paradigma “sensacionalista” da sociedade contemporânea.